Expresso Cultural

últimas notícias

Cinco grafiteiros brasileiros que você deveria conhecer

Postado por: Maria Luiza de Paula 3 Comentários Categoria: Artes VisuaisVariedades

Cada vez mais o grafite é inserido dentro da cultura das grandes cidades brasileiras e pelo mundo afora. Também é cada vez mais comum encontrar brasileiros que se destacam dentro do cenário internacional. O Expresso Cultural traz cinco artistas nacionais que vêm ajudando a democratizar a arte e vêm se tornando cada vez mais influentes. Confira!

Os Gêmeos

Provavelmente o nome mais famoso nessa lista, os irmãos Otávio e Gustavo Pandolfo, mais conhecidos como Os Gêmeos, tem seus trabalhos expostos em diversos países e cidades diferentes, incluindo Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, Cuba, entre outros. O conteúdo de seus grafites é variado, indo de retratos de família até críticas sociais e políticas. Em 2008, os irmãos foram convidados para pintar a fachada da Tate Modern, em Londres, durante a exposição Street Art.

(Foto: Instagram)

Referência à tragédia ambiental em Mariana, Minas Gerais (Reprodução: Instagram)

Eduardo Kobra

Nascido em São Paulo, Kobra começou na arte de rua através de pichações e, mais tarde, tornou-se grafiteiro e muralista. Seus desenhos dão a impressão de serem feitos em três dimensões e costuma fazer muitos retratos de figuras conhecidas. Em 1995, ele fundou o Estúdio Kobra, especializado em painéis artísticos. Em 2011, ele foi premiado no Sarasota Chalk Festival, o maior de arte em 3D do mundo. Seus grafites também estão espalhados por diversos países, como Inglaterra, Estados Unidos, Rússia, Grécia, Itália, entre outros.

(Foto: instagram)

Retrato dos rappers Tupac e Notorious B.I.G (Reprodução: Instagram)

Fabio Crânio

Fabio Oliveira, conhecido como Crânio, começou a grafitar no ano de 1998 e vem se destacando não somente no Brasil, mas também no exterior. Seus personagens mais famosos são os índios azuis, que nasceram da ideia do artista de criar algo para representar o país onde nasceu. Por meio deles, Crânio procura fazer suas críticas com um toque de humor. Uma de suas maiores inspirações é a sua cidade natal, São Paulo.

Os índios azuis são marca registrada do artista (Foto: Instagram)

Os índios azuis são marca registrada do artista (Reprodução: Instagram)

Binho Ribeiro

Binho Ribeiro, nome artístico de Fábio Luiz Santos Ribeiro, é um dos pioneiros da arte de rua no Brasil e na América do Sul, começando a pintar ainda nos anos 1980. Além de grafite, Binho também já foi convidado para ilustrar diversas campanhas publicitárias de marcas como Nestlé, Nike, Ford, entre outras. Uma de suas marcas registradas são os animais estilizados, como carpas, tartarugas e pássaros. Ele produziu uma revista chamada “Graffiti” durante nove anos, mas seus outros projetos impediram que ele continuasse com a publicação.

Grafite em São Paulo (Foto: Flickr)

Grafite em São Paulo (Reprodução: Flickr)

Tikka

A representante feminina desta lista é Ana Carolina Meszaros, mais conhecida como Tikka. Desde 2002 ela começou a pintar muros em São Paulo e vem obtendo destaque no meio. Entre suas referências para suas obras estão desenhos animados, ilustrações de livros e objetos do seu dia a dia. Seus desenhos envolvem, na maioria das vezes, mulheres e meninas, além de figuras fantasiosas, como sereias e fadas.

A representação da figura feminina é uma das características de Tikka (Foto: Instagram)

A representação da figura feminina é uma das características de Tikka (Foto: Instagram)

Se você conhece outro grafiteiro brasileiro que não podemos deixar de conhecer, indique nos comentários!

Maria Luiza de Paula

Jornalista, curitibana. Acredita que a valorização da cultura e da arte são elementos fundamentais para uma sociedade evoluída. Através do site Expresso Cultural espera conseguir atrair as pessoas para este universo. Ainda compra CDs, viaja quilômetros para ver suas bandas favoritas, morre de ciúmes do seus livros.

  • William Fernando Lima

    Ficore, Quinho da Fonseca e Sipros representam também!

    • Camila Tebet

      Quem sabe rola uma segunda edição dessa lista 😉