Expresso Cultural

últimas notícias

Nando Reis encanta curitibanos com show acústico

Postado por: Camila Tebet 0 Categoria: Música
Foto: Camila Tebet/Expresso Cultural

Foto: Camila Tebet/Expresso Cultural

No último sábado, 19 de novembro, Nando Reis retornou a Curitiba em um show bem diferente, em que no palco há apenas ele e seus violões. O show encerrou a turnê acústica “Nando Reis – Voz e Violão – No Recreio – Volume 1”. Com o Teatro Guaíra lotado, o artista reafirmou seu talento em uma apresentação que evidenciou sua habilidade musical. Não havia outros elementos no palco, apenas sua poderosa e singular voz e belíssimos arranjos acústicos para seus principais sucessos. Quem assistiu ao show, de 2h35 de duração, se surpreendeu com o fôlego do cantor.
Além de apresentar canções que marcaram os mais de 30 anos de sua carreira, Nando Reis demonstrou simpatia e conversou com os fãs em diversos momentos do show, contando histórias sobre as canções ou então refletindo sobre sua trajetória. O show começou com a canção “Lamento Realengo”, seguida por “As coisas tão mais lindas” e “Meu mundo ficaria completo (com você)”. Após essa música, ele falou que subir ao palco é a parte mais gratificante da profissão. “As músicas se propõem a isso, a se libertarem, se desprenderem, terem vida própria. É nisso que eu me realizo. Estar na frente de vocês propondo essa comunhão, essa experiência”, afirmou. Ele agradeceu a presença dos curitibanos e ainda disse que o show não seria o que é se não fosse a participação de todos.
Em seguida, Nando trouxe outros de seus grandes sucessos, como “Sou dela”, “Nos seus olhos”, “Não vá embora”, “Dois rios” e “Sutilmente”, essas últimas duas escritas em parceria com Samuel Rosa, do Skank. Entre as canções, o artista explicou que esse é um show bem diferente do que o público está acostumado a ver. Apesar de ser um novo formato, ele disse que há um ponto que não traz nenhuma novidade: sua relação com o violão. “Foi com o violão que se iniciou, se esclareceu e se estruturou minha relação com a música”.
Em algumas canções, como em “Pra quem não vem”, Nando Reis fez a leitura de algumas poesias. Aqui, ele trouxe um trecho do poema “O mergulhador”, de Vinícius de Moraes. “Ao longo da turnê, comecei a descobrir os poemas. Poesia é algo difícil, cheia de possibilidades”. Ele fez um paralelo entre as duas artes, dizendo que as melodias das canções trazem um componente emocional, enquanto a poesia funciona como um quebra-cabeça. “Ao longo dos shows eu fui lendo e falei nooooooossa. Eu mesmo não sabia que era assim”, brincou. A poesia apresentada enriqueceu a canção e deixou a experiência ainda melhor.
Todas as canções apresentadas no show reafirmaram o quanto Nando Reis é um artista plural, que se reinventa cada vez mais. Um dos pontos altos da apresentação, inclusive, foi a interpretação da música “Não vá embora”, escrita na tarde daquele dia. Modesto, o cantor disse que a canção ainda não estava finalizada, mas que tentaria tocar. Claro que, para os presentes, a música parecia prontíssima, além de deixar todos sentindo-se honrados por ouvir em primeira mão.
A experiência de assisti-lo em uma versão acústica com certeza surpreendeu a muitos dos presentes, revelando a potência de sua voz e de sua íntima relação com o violão. A simpatia e descontração do cantor tornaram a noite ainda mais especial, aproximando os fãs do artista, que não ficou isolado no palco. E, como não poderia deixar de ser, Nando Reis finalizou sua apresentação com músicas muito pedidas pelo público: “Relicário”, “All star”, “Pra você guardei o amor, “O segundo sol”, “De janeiro a janeiro”, “Por onde andei” e “Do seu lado”.

Camila Tebet

Jornalista, é apaixonada por cultura em todas as suas vertentes. Acredita no poder de transformação social e intelectual que as artes possuem e tenta, mesmo que aos poucos, democratizá-la.