Expresso Cultural

últimas notícias

Crítica: Honeymoon, Lana Del Rey

Postado por: Maria Luiza de Paula 1 Comentário Categoria: Música
Artista Lana del Rey lança álbum Honeymoon. Confira a crítica.

Artista: Lana Del Rey Lançamento: 18 de setembro de 2015 Gênero: Pop Nota: 4/5

Lana Del Rey pode ser considerada tudo, menos uma artista pop comum. Cada dia mais se consagrando como uma das grandes revelações do gênero, ela lançou em setembro o seu terceiro disco de estúdio, Honeymoon. Lana ainda continua com o mesmo ar de diva retrô, mas prova que pode inovar dentro do estilo que ajudou a popularizar.

O disco começa com a faixa-título trazendo um acompanhamento em violino com notas bem agudas. Parece uma abertura de um filme de suspense em preto e branco. Ao invés de trilha sonora de uma “Lua de Mel”, poderia servir como um tema de funeral. As demais canções do disco dão continuidade nesse clima sóbrio, todas baladas com orquestrações.

Essa provavelmente seja a obra mais madura da cantora. O primeiro álbum, Born To Die (2012), trazia muitas influência de pop, R&B e hip-hop. Já o segundo, Ultraviolence (2014), trazia mais orquestrações e combinava com guitarras arrastadas e um clima bem anos 70.

Honeymoon, porém, não é tão fácil de escutar. Talvez demore até o ouvinte se acostumar com certas mudanças, mas parece que Lana se sentiu mais livre para criar algo, sem ficar presa a fórmulas do passado. Se anteriormente ela podia se enquadrar perfeitamente no rótulo “hipster”, aqui ela se liberta um pouco desse estigma.

“Music To Watch Boys To”, “Freak” e “High By The Beach” são provavelmente as faixas mais comerciais, com refrões pegajosos e que lembram a linha dos discos anteriores. Já “Terrence Loves You” é um dos grandes destaques de uma nova fase, mais influenciada pelo jazz do que em qualquer outro trabalho anterior.

As letras da cantora soam como poemas sombrios e melancólicos, não é à toa que a cantora se diz muito influenciada pela literatura. A faixa Honeymoon é inspirada no poema francês Lune de Miel, de T. S Eliot, autor também homenageado no interlúdio Burnt Norton. Porém, assim como no passado, letras que falam sobre o glamour do crime e da vida desregrada, muito influenciadas pelo cinema Noir, derivado dos romances de suspenses, famoso entre os anos 40 e 50. A Califórnia também parece ter sido incorporada dentro do cenário da cantora, apesar de sua música não ser bem sobre a ensolarada Costa Oeste americana.

Honeymoon

Artista: Lana Del Rey

Lançamento: 18 de setembro de 2015

Gênero: Pop

Nota: 4/5

Maria Luiza de Paula

Jornalista, curitibana. Acredita que a valorização da cultura e da arte são elementos fundamentais para uma sociedade evoluída. Através do site Expresso Cultural espera conseguir atrair as pessoas para este universo. Ainda compra CDs, viaja quilômetros para ver suas bandas favoritas, morre de ciúmes do seus livros.